quinta-feira, 23 de abril de 2009

Sensibilidade


Por Carlos Bezerra

Partindo de Trôade, navegamos diretamente para Samotrácia e, no dia seguinte, para Neápolis. Dali partimos para Filipos, na Macedônia, que é colônia romana e a principal cidade daquele distrito. Ali ficamos vários dias.
No sábado saímos da cidade e fomos para a beira do rio, onde esperávamos encontrar um lugar de oração. Sentamo-nos e começamos a conversar com as mulheres que haviam se reunido ali. Uma das que ouviam era uma mulher temente a Deus chamada Lídia, vendedora de tecido de púrpura, da cidade de Tiatira. O Senhor abriu seu coração para atender à mensagem de Paulo. Tendo sido batizada, bem como os de sua casa, ela nos convidou, dizendo: “Se os senhores me consideram uma crente no Senhor, venham ficar em minha casa”. E nos convenceu.

Atos 16: 11-15


Paulo em sua segunda viagem missionária chega a Filipos, porta de entrada para a Europa. Lá ele procura alguma sinagoga para orar num dia de sábado e não encontra. O imperador da época havia expulsado todos os judeus das províncias romanas. Para se ter uma sinagoga era necessário, no mínimo, dez judeus e dá-se a entender que não havia esse número com Paulo.
Uma vez que não rolava ter uma sinagoga por causa do número de pessoas, os judeus poderiam, segundo a tradição, se reunirem ao ar livre, a beira de rios, embaixo de árvores. Paulo sai a procura de um lugar assim e encontra algumas mulheres orando as margens de um rio. Diz a bíblia que ele fala de Jesus e interessante é que elas eram judias e estavam esperando a vinda do messias. Paulo fala sobre Jesus e a bíblia diz que Deus abre o coração de Lídia e ela entende a mensagem e se converte e converte a caminhada a sua família.

Eu olho pra Lídia e percebo algumas características muito valiosas, características de uma mulher que tem intimidade com Deus, que busca se relacionar com o Criador. Ela era uma comerciante de púrpura, algo muito valioso na época. Prá se ter uma idéia um manto tingido com a púrpura mais pura chegava a custar 2.500 danários. Isso é equivalente a 2.500 dias de trabalho de um homem da época. Ela era rica e provavelmente viúva ou solteira o que pra época era um fator de preconceito.

Fico imaginando o quanto de frases prontas ela deve ter ouvido a respeito da sua vida e da sua opção de caminhada ao lado de Deus. Ela tem um perfil, pra sociedade da época, daqueles que as pessoas poderiam cair em cima e detonar com ela. Provavelmente ela sofreu preconceitos.
Mas o que vejo na Lídia que me traz admiração e inspiração é que ela tinha um compromisso com o Criador, ela tinha uma caminhada com Deus, um foco. Apesar de ser rica, no dia de sábado ela estava lá, a beira do rio orando e buscando a Deus.

Quantos de nós já sofreram com frases prontas, carregadas de preconceitos do tipo: Você não tem futuro! – homem que é homem não chora! – esse tipo de gente não pode ficar aqui!

Você provavelmente já foi agredido ou já viu alguém ser por frases desse tipo.

O que nos faz ter o foco e perceber que temos um alvo a alcançar é nosso compromisso com o Criador, nosso compromisso e o foco que construímos ao lado Dele pra nossa vida.

Lídia não permitiu que coisas desse tipo a afastassem do que Deus tinha para ela. Não permita também.


Quando olho para Lídia eu vejo também a questão da sensibilidade a Deus. A bíblia diz que todas as mulheres que estavam orando na beira do rio ouviram Paulo. Mas só Lídia foi tocada pelas palavras.
A questão é que Lídia entendeu a mensagem da cruz, entendeu o amor de Deus por ela enviando Jesus para morrer no nosso lugar e se tornou uma Cristã, alguém que segue os passos de Jesus, o Cristo.
As suas amigas provavelmente ficaram ainda lá na beira do rio buscando em oração uma intimidade com Deus, com a Criação, aguardando que o Messias volte, enquanto Lídia percebeu o que Deus já tinha feito por ela e diz a Bíblia que ela convidou os discípulos para irem se hospedar em sua casa. Ela começou a servir com os recursos e potenciais que ela possuía.

Cristianismo não nos deixar somente em estado contemplativo. Cristianismo nos faz arregaçar as mangas e agir. Nos faz dropar a onda com segurança e atitude.
Jesus nos convida a agir em meio a nossa sociedade, com nossos dons, nossos potenciais e não ficar em outra dimensão, fora dos problemas e das questões que estão ao nosso redor.

A palavra veio para todas as mulheres e só Lidia abriu seu coração para a caminhada Cristã.
Somente ouvir a Palavra não foi suficiente para ela.

Lídia foi uma forte líder cristã em Filipos e sua casa uma das primeiras comunidades cristãs da Europa.

Boas Ondas

Nenhum comentário:

Se liga nas notícias