quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Frustração


Fala Galera,


Quem nunca passou por uma frustração que atire a primeira pedra! Todos nós, de uma forma ou de outra, passamos por situações que nos deixaram chateados, magoados ou desanimados.

Quem, após marcar seu surf bem cedão, não ficou frustrado com um mar pequeno ou totalmente flat?

Dia desses, passei por algo inusitado para mim. Após 24 anos de surf, passei por algo que me deixou totalmente desconcertado. Fui surfar e, quando cheguei no pico, esqueci de colocar na mochila as minhas nadadeiras. Como sou bodyboarder, foi o mesmo que dizer que não ia rolar o surf naquela manhã. Perdi a manhã de surf, pois não dava pra voltar para casa e pegá-las. Estar na praia e não poder surfar... Muito cruel.

Ficamos com raiva, chateados, zangados. A frustração quando bate em nossas vidas, tira todo o nosso gás, mas, precisamos entender que, se caminhamos com o Criador das Ondas, precisamos tirar sabedoria mesmo de momentos aparentemente chatos e cruéis na nossa vida.

Na bíblia, percebemos uma frustração dos discípulos de Jesus quando ele é preso pelos soldados romanos. Há todo um descontrole dos que caminhavam com ele. Pedro tenta matar um dos soldados e Jesus evita, outros fogem. O próprio Pedro que tinha dito que jamais o abandonaria, acaba por negar que o conhecia. Uma frustração total. (Lucas 22: 47-62)

Como pode o que seria nosso libertador ser preso como uma pessoa qualquer? Como pode o homem que trazia vista ao cego não poder cegar todos os soldados de uma só vez? Ou então, matar todos de uma só vez já que ressuscitou pessoas? A lógica deles estava correta, mas o que não estava compatível era a lógica do Jesus que eles caminhavam. Jesus não era compatível com essa lógica.

Todas essas construções devem ter pairado na mente deles e elas mostram que não entendiam bem quem era Jesus. Se eles, que caminhavam com Jesus não entendiam, imaginem nós, mais de dois mil anos após.

Hoje, muitos acreditam que viver com Jesus vai lhes trazer benefícios em meio à vida. Que poderão se dar bem no lugar do outro ou que terão “privilégios” que os que não caminham com Jesus jamais terão.

É “natural” fazermos essas leituras. Vivemos num mundo capitalista, onde a vida gira em torno do mercado, do produto, da compra, do serviço. Confundimos tudo. Acabamos por achar que a dinâmica que move a sociedade move também a nossa relação com o Criador.

Os discípulos fizeram a mesma coisa. Usaram a dinâmica da vida da época para trazer Deus “pro lado deles” e derrotar o império que os oprimia.

Frustraram-se, pois Jesus morreu por todos nós, mas ressuscitou para que pudéssemos ter uma vida ao lado do Criador das Ondas apesar das nossas falhas, apesar da nossa limitação em pecar, em errar conosco e com o outro. Deus nos ama tanto que mandou Jesus para que morresse por mim e por você. Pelo perdão das nossas falhas.

Os discípulos ficaram arrasados após a morte de Jesus, mas, com o passar dos dias, perceberam quem era Jesus e qual era a mensagem que ele trouxera para suas vidas. Essa mensagem transformou-se no próprio estilo de vida de todos eles. Por esse estilo de vida, deram a própria vida, a própria existência. Apesar da frustração, conseguiram perceber a mensagem que Jesus tinha em sua vida.

Hoje vivemos uma época onde as pessoas tratam sua relação com Jesus e com o Criador das Ondas como se eles fossem um produto do mercado. Uma mercadoria que nos oferece benefícios. Jesus tem se tornado um instrumento na mente das pessoas para adquirir carro do ano, se dar bem na vida, ter coisas boas e “passar bem”.

Infelizmente essa é a realidade massificada que se passa para o público em geral do cristianismo. Pessoas que se acham melhores, pessoas que querem ter as coisas boas porque elas “merecem” e tal. Declaram e tudo acontece porque tem “poder” sobre Deus.

Eu tenho visto vidas frustradas com essa mensagem. Surfistas que abrem seu coração para caminhar com o Criador e acabam sendo ludibriados por mensagens desse tipo. Mensagens que prometem tudo de bom e acabam por detonar com suas vidas.


Jesus veio trazer algo muito mais massa que bens, que posse, que carro do ano, que conta gorda. Jesus veio trazer sentido para sua vida. Jesus veio trazer vida abundante para sua caminhada.

Vida abundante tem haver com não vivermos ilusão. Tudo nessa vida passa, mas o que não passa é o amor que temos uns pelos outros, a vida vivida. Uma expressão verdadeira de amor pelo próximo e pelo Criador.

Não podemos deixar que nossa vida com Deus se torne num mercado de negócios.

Jesus é o mesmo hoje. Ele quer mudar nossa vida por dentro. Ele quer nos desafiar a viver um estilo de vida que ama ao Criador e ao próximo.

Se precisarmos cuidar da nossa vida financeira, ele estará conosco da mesma forma que está em todos os momentos da nossa vida, mas, nos dando inspiração e sensibilidade para viver.

Não podemos transferir para ele nossa responsabilidade com ser humano e cidadão. Cada um tem seu papel social e precisa cumpri-lo ao lado do Criador das Ondas.

Esse é o desafio: Ser uma expressão do Cristo em meio a nossa vida, ao nosso dia a dia. É muito mais do que querer se dar bem na vida. Se dar bem na vida tem haver com amor verdadeiro por Deus e pelo próximo, muito trabalho, suor, ralação e a companhia do Criador das Ondas nos dando Sabedoria e sensibilidade para seguir pelos seus caminhos.

Boas Ondas,

Nenhum comentário:

Se liga nas notícias