segunda-feira, 4 de abril de 2011

Nossas raízes


Fala Galera,



Se há algo que os povos do oriente e tribos mais “primitivas” espalhadas por todo o nosso planeta sabem respeitar e valorizar são suas origens, tradições e representantes mais velhos.

Esses povos percebem em sua cultura, a preservação da sua história, das suas raízes. No Japão, os idosos são altamente respeitados por sua experiência, sabedoria e por serem o retrato vivo do povo, da sociedade onde estão inseridos. São amados, respeitados e fazem parte da sociedade como grandes representantes em meio a decisões e ações tanto em empresas como nas famílias.

No Hawaii, a tradição cultural e o respeito aos seus idosos também é presente. Nas tribos indígenas aqui do Brasil, o respeito ao idoso também é forte. Povos, civilizações que percebem que suas raízes estão na vida desses representantes que já caminharam por muitas décadas do nosso planeta.

É lamentável ver a situação do nosso idoso e da nossa cultura brasileira. A cada dia, perdemos um pouco das nossas raízes e muitos da nova geração nem sabem questões culturais de onde estão inseridos. Aqui mesmo no Nordeste do Brasil, temos perdido muito da nossa cultura e salvo alguns grupos que tentam resgatar nossas origens.

Mas o mais triste de se observar é a forma como nosso país lida com o idoso. Apesar de possuir vários direitos no papel, culturalmente a sociedade trata muito mal nosso idoso. Para a pessoa que possui mais experiência de vida do que nós, a sociedade dá as costas.

Para quem viveu décadas e mais décadas de história e que passou por muito mais situações do que nós, a sociedade trata como algo descartável. Vemos idosos sendo mal tratados em filas de espera de hospitais quando precisavam ser tratados com prioridade. Apesar de possuírem cadeiras preferenciais nos coletivos, muitas vezes, essas cadeiras estão ocupadas por jovens que não estão nem ai para o caso de haver um idoso em pé.

Vagas nos estacionamentos e muitos ocupam sem a menor dor de consciência. Porque será? Não entendemos que eles são nossa responsabilidade? Muitos abandonam seus velhinhos em asilos e ficam esperando a notícia de sua morte. Muito triste ver asilos lotados de pessoas cheias de vida que foram descartadas porque não são mais interessantes.

Interessantes elas são para muitos quando possuem uma aposentadoria ou pensão. Ai a pessoa mantém em casa e tal. Quando não há interesse se “desova” num asilo.

É lamentável olhar para um povo que desrespeita seus representantes mais honrados. Não se engane você olha um velhinho de 90 anos e acha que ele não tem nada a lhe ensinar. Ele tem muito a lhe ensinar. Pare e perceba que uma pessoa que chega aos 90 anos possui muito mais sabedoria do que muitos jovens que se vão antes dos 40.

Temos perdido muito ao deixar nossos idosos fora da nossa sociedade. Eles precisam ser tratados com dignidade. Um dia, com muita fé, poderemos ou não chegar a sua idade. Será que gostaremos de ser jogados para fora da vida? Será que amaremos ser excluídos dos nossos direitos depois de uma vida de dedicação e contribuição para o mundo?

Precisamos tratar o outro como desejamos que nos tratem. Esse é um princípio que precisamos ter dentro do nosso coração, dentro da nossa vida.



Boas Ondas,

Um comentário:

Carlos A. Barbosa disse...

Amizade é um dom divino. É um dom que poucos tem. É algo sublime, perfeito, delicado. É um sentimento bom, gostoso de sentir. Quando ganhamos um amigo, tudo parece ser mais fácil, a vida se torna mais bela e a semente do amor é frutificada, regada com muita paz, harmonia e sinceridade nos corações que tem a Deus. Damares Nunes

http://arteempapelreciclado.blogspot.com/

Se liga nas notícias