quinta-feira, 9 de julho de 2009

Surfista cristão ou cristão surfista?




Por Carlos Bezerra


E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja, e ensinaram muita gente; e em Antioquia foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos. (Atos 11:26)

O termo cristão foi dado aos discípulos como um termo de zombaria. Tipo, eles chamavam os discípulos de cristãos como se estivessem chamando de babões, seguidores de Jesus. Os discípulos gostaram do termo e acabaram adotando. Cristãos.

A palavra cristão quando empregada como um adjetivo é muito massa. A questão fica complicada quando a gente a transforma em substantivo. Por causa da palavra empregada como substantivo, têm se levantado um mundo de coisas ditas “cristãs”.

E temos uma tendência a olhar e quando vemos que algo é cristão, aceitamos e isso não é legal. Quando baixamos a nossa guarda para a questão do discernimento, do questionamento as coisas se tornam perigosas.

Não é porque o cara é um cantor cristão que ele é bom, que tem qualidade e que ele tem que ser consumido. Não é porque o cara é um surfista cristão que ele tem um testemunho legal e que a gente pode confiar. Não é porque uma loja é cristã que os produtos dela são os melhores e que tem os melhores preços. Não é porque um grupo de teatro é cristão que ele é o melhor. Não é porque o filme é cristão que temos que consumi-lo mesmo que não preste.
Não podemos perder nosso senso crítico para um mundo, um mercado que se diz cristão.
Se você perceber, existe muito filme que é produzido, que tem mensagens lindas e que não são ROTULADOS de cristãos. Existem grandes escritores, grandes atores, grandes pessoas que estão proclamando a vida, a verdade, o caminho de Jesus.
Jesus disse que ele é o caminho, a verdade e a vida.

A verdade, a vida, não é exclusividade de um rótulo de mercado cristão.
A verdade é muito grande, Jesus é muito grande para caber dentro de um mercado que nasceu um dia desses.

Temos que nos questionar. Não podemos ser consumidores de um mundo gosphel sem realmente analisar se tem qualidade e se vale a pena consumir.

Somos filhos de Deus. Deus criou a terra, o mundo pra gente. Tudo é nosso e a vida vai muito mais além do que vivemos dentro da nossa comunidade.

Temos que perceber que para a gente ser cristão a gente não precisa produzir um produto cristão, um trabalho cristão.

Eu entendo que quando se tem um compromisso de vida cristã, tudo que se faz, o seu trabalho, a sua faculdade, o seu surfe, tudo se torna sagrado.

Quem é verdadeiramente cristão vive uma vida sagrada em tudo que faz porque não tem como se conhecer a verdade e se viver sem buscar fazer tudo de forma bela, correta e buscando dar o melhor.

Portanto galera, que possamos perceber que existe uma grande diferença entre sermos surfistas cristãos e cristãos surfistas.
Cristão surfista e muito mais amplo, expressa que temos uma vida cristã e mostra onde está nosso foco de caminhada. Você percebe?

Que toda nossa vida seja cristã e que possamos ser influência na vida dos que nos relacionamos. Que possamos mostrar a Luz que é ser cristão no nosso planeta e na nossa caminhada.

Boas Ondas

2 comentários:

Seu Brother Teu ;) disse...

Iae Carlos, blza maninho?!
Que legal brother... irada essa parada de usar Cristão como adjetivo! Nossa, glória a Deus por esse ponto de vista! rsrs
Texto simples e DE ABRIR OS OLHOS! Nosso Pai seja louvado pela sua vida brodinho! Abração, fica na paz!

Carlos Bezerra disse...

Valeu Brother! =]
Deus abençoe sua caminhada!

Se liga nas notícias