domingo, 24 de julho de 2011

Perdendo a conexão


Fala Galera,

Não há nada melhor para quem surfa do que fazer a onda todinha desde o drop até a finalização. Passar por todas as sessões da onda executando o que ela está pedindo. Finalizar com uma manobra casca aquela onda que você traçou como se fosse uma obra prima. É sem sombra de dúvidas alucinante.

Quem surfa sabe que, se deseja aproveitar o que as ondas podem lhe proporcionar de melhor, precisam fazer a conexão entre o inside e o outside. Se for competidor precisa ainda mais estar no rip para realizar essa transição. O resultado é um surf fluido, bonito de se ver e totalmente gratificante para quem está realizando. A sensação de missão cumprida diante do desafio que encarou remando forte lá no outside.

A vida possui suas conexões também e, muitas vezes, as perdemos. Muitos passam pela vida pulando etapas, sendo precipitados e perdendo momentos que precisam ser vividos de forma plena e intensa. Pessoas passam pela vida e nem percebem o quanto ela é bela de se viver.

Alguns se prendem as situações difíceis, mas que são naturais surgirem. Acabam perdendo a sensibilidade de perceber o belo no seu dia a dia. Outros, traumatizados pelas contingências da vida, se entorpecem com produtos para “anestesiar” a dor de se viver e “curtir” o momento.

Perdemos pessoas queridas devido essas armadilhas que se colocam diante da vida. Pessoas queridas, famosas, anônimas, perdem a conexão na caminhada e pagam um preço muito alto. Muitos pagam com a própria vida, outros escravos para sempre.

Será que não estamos perdendo o que há de melhor para se viver? Será que não somos reféns de uma sociedade que coloca em nossa cabeça o “perfil” da pessoa ideal? Será que não estamos nos transformando em produto diante de uma sociedade caótica.

Essa semana estava comentando como é curioso perceber muitos jovens hoje em dia saindo para as festas. Parece que eles possuem o mesmo padrão de se vestir e de se comportar. Até que ponto isso tem haver com suas próprias escolhas na hora de decidir seu estilo ou se ele está sendo induzido a possuir aquele perfil porque, senão, pode ser excluído do “padrão ideal”? É muito curioso perceber essas questões.

Assim como na onda que surfamos e que perdemos a conexão, a linha na qual estamos realizando, muitos perde a conexão com a vida e com os desafios que se colocam diante de sua caminhada.

Precisamos perceber que há uma conexão que nos dá um sentido maior para tudo que realizamos na nossa vida. Essa conexão tem haver com o projeto ideal no qual fomos criados. É a conexão mais perfeita que já existiu e que nós acabamos por deixar de lado devido às situações que a vida coloca diante de nós.

Essa conexão é a nossa com o Criador das Ondas. Nós, seres criados, conectados ao nosso Criador. Perdemos essa conexão e muitas vezes, na vida, nos encontramos zangados, frustrados da mesma forma que nos portamos quando perdemos aquela conexão na onda perfeita.

Essa conexão nos deixa sensível a vida, ao outro e isso faz com que a simplicidade tenha um brilho maior. Essa conexão nos deixa ativos diante de injustiças e do mal. Faz-nos buscar a paz para o contexto no qual fazemos parte. Essa conexão faz com que nossa vida seja abundante, completa. Mesmo que tenhamos que encarar os desafios do dia a dia, percebemos que não estamos sós e que Ele, o Criador das Ondas, nos dará sabedoria para agir nos desafios.

Por isso busque como o ar que respira estar alinhado ao Criador das Ondas, Jesus. Busque valores legais para sua vida. Não destrua a si mesmo e nem a ninguém com suas escolhas. Na vida teremos sempre escolhas a tomar. Busque as que geram vida, Paz e responsabilidade para com você e para com os outros.

Não permita perder essa conexão que lhe levará a finalização da onda mais perfeita que você já surfou um dia: A sua própria vida.

Boas Ondas

2 comentários:

Cliceli A. Kovalski disse...

interessante seu blog..
visita o meu... se gostar segue...
to recem começando..
abraço

Cliceli A. Kovalski disse...

http://cliceli.blogspot.com/

Se liga nas notícias